Conceição do Araguaia, Pará, Brasil​

Siga

Conceição do Araguaia, Pará, Brasil​

Siga

Ajude na formação dos futuros sacerdotes

Ajude na formação
dos futuros sacerdotes

JOVENS SÃO ENVIADOS À MISSÃO DIOCESANA NA CATEDRAL DA NOSSA DIOCESE

Em dado momento da nossa vida, somos chamados a sairmos do nosso comodismo e fazer coisas que jamais havíamos imaginado fazer. É aquele momento que provocamos e indagamos a nós mesmos: “é isso mesmo que eu quero para a minha vida?” ou “que caminho devo seguir?”.

Na vida eclesial, isso não é diferente. Todos somos chamados a uma experiência profunda com Aquele que nos criou e que nos quis, antes mesmo de sermos formados no ventre de nossa mãe. Logo, parece que, enquanto não encontramos nosso lugar, não ficamos conformados. E o que é fazer a vontade de Deus senão NOS CONFORMARMOS à Sua vontade?

Nesse sentido, desde o ano passado (2022) ou talvez até antes, alguns jovens decidiram “abrir” seus ouvidos para uma escuta atenta ao que o Senhor os chamava a fazer e a ser (principalmente). Cada um deles teve uma experiência diferente e, provavelmente, motivações distintas para darem seu SIM a Deus, à Diocese, à Igreja. E por se colocarem numa posição de atentos, puderam deixar os seus corações arderem e colocarem seus pés a caminho (Lc 24, 32-33).

A jornada continuou no início do mês de fevereiro com o período formativo, onde puderam aprender sobre diversas temáticas, dentre elas: liturgia das horas, Mariologia, evangelização de crianças com o método preventivo de São João Bosco, campanha da fraternidade 2023 etc. Vale aqui destacar um tema de suma importância para a vida missionária: conhecimento da Igreja local. Sobre isso, o coordenador da Missão 2023 relatou: “com a Ir. Evani, OP, eles puderam conhecer um pouco mais sobre a história da Diocese e dos primeiros missionários, onde ajudou muito a fomentar o desejo de servir a Diocese neste ano e amar sua história” (Sem. Vinícius Macaúbas).

E no último domingo (19 de março de 2023), culminou-se o momento tão desejado por cada um dos jovens que responderam ao chamado do Senhor: foram enviados por Dom Dominique You, na Catedral Nossa Senhora da Conceição, em Conceição do Araguaia, e receberam “a cruz mais desejada da Diocese” (risos).

O seminarista Herbert, um dos responsáveis pela Missão deste ano, deu abertura a esse momento com as seguintes palavras: “…felizes são vocês, missionários, que sentiram o convite de Deus e, ancorados na oração, e com coragem, vos destacastes de vosso ambiente, das vossas comunidades, das vossas vidas, superando juízos e motivos humanos”.

Em seguida, os jovens foram chamados, um por um: Railton Gonçalves (Paróquia Nossa Senhora de Guadalupe- Piçarra), Victor Mourão (Paróquia Nossa Senhora das Dores- Floresta do Araguaia), Kalyni Suzana (Paróquia Nossa Senhora das Graças- Redenção), Clenio Eterno (Paróquia Nossa Senhora da Conceição- Conceição do Araguaia), e Vinícius Macaúbas (seminarista responsável pela Missão Diocesana 2023).

Não sei se perceberam, mas a Kalyni é a única menina no meio dos meninos. Sobre isso, ela relatou: “O fato de eu ser a única menina não me abala, pois, meus objetivos estão em Deus, e, na solidão, não estou só! Minha madrinha missionária, madre Maria Otávia, irá estar junto a mim neste ano me ajudando a superar todo e qualquer obstáculo”.

E para este ano missionário, os jovens escolheram, como de costume, um santo padroeiro, do qual Dom Dominique anunciou assim que começou a falar aos missionários: “Irmãozinhos, escolhestes como santo protetor um jovem que traçou uma vida como uma estrela cadente […] Luíz Gonzaga…”.

Num gesto de intercessão, o bispo solicitou a todos da assembleia que impusessem suas mãos em direção aos jovens; em seguida, fez uma oração sobre os missionários e abençoou as cruzes, os sinais que levarão em seus peitos para onde quer que forem e estejam. Dom Dominique colocou os cordões sobre os responsáveis da Missão 2023, Herbert e Vinícius, que, em seguida, se dividiram e fizeram o mesmo gesto aos demais jovens.

O jovem Clenio relatou sobre sua experiência escrevendo o seguinte: “Tive o prazer de ter meus pais e meu irmão na Missa; e vê-los lá me apoiando foi tudo que eu precisava para completar minha decisão de ser missionário. Quando lembro onde estava, em outubro do ano passado, e onde estou agora, posso ver como Deus é grandioso”.

Ainda na cerimônia, os missionários diocesanos se juntaram e se abraçaram coletivamente, num gesto de união e de fraternidade. O jovem Railton disse: “como missionário diocesano, colocando-me à escuta da voz de Deus, à procura de uma construção de um projeto de vida verdadeiro e seguro, fundamentado em Jesus Cristo, a rocha de sustento da nossa vida, manifesto a minha alegria de poder estar fazendo parte da Missão Diocesana. Fazer parte deste projeto é abrir-se para receber uma graça, que é ímpar em nossa vida. Desde que cheguei, venho constantemente sendo lapidado e abro todos os dias o meu coração para receber essa graça”.

Por fim, os mais novos missionários do Senhor se apresentaram à comunidade eclesial presente e receberam da mesma uma grande salva de palmas. Perguntando ao jovem Victor sobre sua experiência, ele respondeu: “Ter sido enviado como missionário só mostra o quanto o amor de Deus por mim é infinito, pois, Ele quis precisar de mim para ajudar, servir e amar. Sei que a vida daqui para frente não será fácil; entretanto, qual seria a graça se fosse assim? Sei que as lutas e os sofrimentos vão me deixar cada dia mais forte e mais disposto a servir […]. Então, peço a todos que rezem por nós, missionários, e pelo nosso discernimento vocacional; esperamos que tudo ocorra conforme a vontade de Deus e que esse ano seja muito abençoado e frutuoso em nossas vidas. Que Nossa Senhora interceda por todos nós!”.

Nessa celebração, estiveram presentes ainda Pe. Raimundo e Pe. José Bonfim (pároco e o vigário da Catedral, respectivamente), os seminaristas da nossa Diocese, alguns familiares e amigos dos jovens, e alguns missionários diocesanos dos anos anteriores.

E a partir dali, daquela Missa, daquele dia, o Senhor confiou a cada um deles uma missão muito bela. E aqui, um testemunho sobre isso: “Depois da Missa de envio, eu sinto que eu realmente estou onde deveria estar, me sinto muito feliz com tudo que está acontecendo, sei que Deus e Nossa Senhora estão comigo na minha caminhada, e fica ‘fácil’ sabendo que eles estão comigo…” (Clenio Eterno, missionário).

Agora, é deixar que as coisas sejam conduzidas e guiadas sob a luz do Espírito Santo.

Que São Luíz Gonzaga, padroeiro dos jovens, interceda por cada um dos missionários diocesanos e por todas as ações que farão, sendo instrumentos nas mãos do Bom Deus. Amém.

Texto: Sem. Antonio Edney.

Fotos: Pascom/ Paróquia Nossa Senhora da Conceição- Catedral

DESTAQUE

ÚLTIMAS POSTAGENS

Em Xinguara, João Paulo e Samuel Lima são ordenados diáconos

A Quaresma 2024

Carnavais com Cristo em nossa Diocese: canais da graça para a juventude!